CARTA DE APOIO À OCUPAÇÃO DA PUC/SP

marciafica12

Foto da profª Marcia Eurico no 11° Seminário Anual de Serviço Social (CORTEZ Editora). Fonte: https://www.change.org/p/reitoria-da-puc-sp-marciafica

A Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social vem por meio desta manifestar seu total apoio à todas/os as/os estudantes da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo que neste momento ocupam o prédio da PUC/SP. As/os estudantes que bravamente vem se articulando frente ao Movimento #MARCIAFICA, uma ação pleiteada pelo Centro Acadêmico “Amarildo de Sousa” e que vem sendo apoiada por vários/as profissionais e docentes da área, bem como áreas afins, além de outros movimentos sociais.

“Entenda o caso: No último processo seletivo ocorrido na Faculdade de Serviço Social da PUC/SP para a contratação de docente substituta, a Profª Marcia Eurico foi uma das entrevistadas e aprovada para a vaga, entrando assim para o quadro de docentes da referida instituição. A Profª Marcia Eurico tem uma trajetória pública e notória. É professora universitária há mais de 12 anos, têm experiência tanto no campo acadêmico como nos espaços sócio ocupacionais. Foi a autora mais citada nos trabalhos enviados ao 15º CBAS e tem diversos artigos publicados em revistas científicas, tais como Serviço Social e Sociedade e Revista Ser Social, e no próximo dia 25 deste mês defenderá sua tese na PUC/SP.
A chegada de uma mulher negra naquele espaço tão restrito reacendeu uma discussão que há tempos faz parte das pautas de reivindicações das/os estudantes que constroem o CA da PUC/SP. Assim, no último dia 07 de maio de 2018, durante a realização do 11º Seminário Anual de Serviço Social iniciou-se uma mobilização com o movimento #MARCIAFICA, entendendo a importância de uma professora negra naquele espaço.
Destacamos que o Curso de Serviço Social da PUC/SP é um dos pioneiros no País, com mais de 80 anos de existência, e em toda sua história nunca houve em seu quadro de docentes efetivos um/uma docente negro/a. Ressaltamos ainda que as orientações da Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social – ABEPSS, bem como do conjunto CFESS/CRESS (2016-2018) é direcionada para a imediata inclusão de disciplinas e núcleos de pesquisas que discutam as opressões e entre elas o racismo e as determinações étnico-raciais, e neste sentido, a reivindicação das/os alunos/as é legítima e portanto reafirmamos #MARCIAFICA.”
Nesta direção, reafirmamos nosso compromisso com essa categoria profissional e ressaltamos o necessário e urgente apoio frente a essa trincheira, que neste momento histórico nos convoca a continuar nessa articulação entre entidades, e neste sentido conclamamos à todas/os que historicamente constroem essa categoria profissional, aos profissionais assistentes sociais, discentes e docentes da graduação e da pós-graduação, aos supervisores de campo e acadêmico e a cada um/uma que compactua com o mesmo projeto societário, que assinem o abaixo assinado que já conta com mais de 1.200 ASSINATURAS.

Segue na íntegra o abaixo assinado https://www.change.org/p/reitoria-da-puc-sp-marciafica .
Participem das assembleias que ocorrerão durante a ocupação que reivindica a imediata CONTRATAÇÃO EFETIVA da Profa. Marcia Eurico e por cotas no corpo docente da graduação e pós graduação.

Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social.
Comissão Gestora 2017-2018.

Anúncios

A ENESSO estará presente no I SEMINÁRIO NACIONAL “O TRABALHO DO/A ASSISTENTE SOCIAL NA POLÍTICA SOBRE DROGAS E SAÚDE MENTAL”!

Hoje, dia nacional da luta antimanicomial, a Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social (ENESSO) reafirma seu compromisso com a luta pela Reforma Psiquiátrica e convoca todas e todos estudantes de Serviço Social para compor as organizações locais, regionais e nacionais que pautem “as temáticas de saúde mental e álcool e outras drogas como questão de saúde pública” (CFESS, 2018) ¹. Bem como, que possamos reunir nosso acúmulo para os debates no âmbito do Movimento Estudantil de Serviço Social, e construir coletivamente estratégias para fortalecer a luta dos direitos a pessoa com transtorno mental e/ou em uso abusivo de álcool e outras drogas.

No Brasil, sabemos que houve um massacre de pessoas com transtornos mentais, o que se estendeu para o campo das opressões de gênero, raça e sexualidade impostos aos homens e mulheres trabalhadores/as, frente à questão social em suas diversas expressões: em uma lógica higienista, os ditos manicômios/hospícios eram locais onde toda a autonomia do sujeito era destituída, e “dados do livro de Daniela Arbex, ‘O holocausto brasileiro’, demonstram que mais de 60 mil pessoas morreram no hospício de Barbacena (MG), por falta de assistência adequada e descaso do poder público” (CFESS, 2017)².

Os movimentos sociais organizados fizeram várias denúncias e mobilizaram estratégias promovendo o tensionamento à criação de políticas públicas para acolher as demandas de sujeitos que foram institucionalizados, numa lógica de encarceramento durante anos.

Em 2001, fruto de um intenso processo da luta antimanicomial, a aprovação da lei 10.216 que ‘dispõe sobre os direitos da pessoa com transtorno mental, e estabelece diretrizes para assistir esses usuários, propondo também uma organização da saúde para operacionalizar esse atendimento’, é um marco na atenção em saúde que se constitui como uma conquista de toda a população.

Sabemos que neste cenário de barbárie e retrocessos, essas conquistas têm sido colocadas em xeque, nos conclamando a lutar pelo óbvio, para não perder os avanços alcançados nesta empreitada, ainda que tenhamos muito que avançar na materialização do que preveem essas legislações, como por exemplo, o fortalecimento e implementação de serviço substitutivos, como as residências terapêuticas, e também, no que tange ao financiamento da Rede de Atenção Psicossocial, o qual é insuficiente para atender e acompanhar a demanda existente.

A ENESSO estará presente no I Seminário organizado pelo Conjunto CFESS-CRESS e saúda a categoria profissional pela iniciativa, urgente, em promover este espaço de discussões, reflexões e proposições, sobretudo considerando os altos índices de adoecimento da classe trabalhadora e a vinculação com as relações de trabalho (no sentido da determinação social do processo saúde-doença). Compreendendo o Serviço Social como uma profissão inserida na divisão social e técnica do trabalho, que tem como objetivo intervir na realidade, mais especificamente nas expressões da “Questão Social”³, visando a fruição dos direitos sociais, bem como a transformação societária, entendemos que damos respostas concretas a demandas concretas. Assim, as perspectivas de defesa dos direitos de usuários com transtorno mental é um tanto desafiadora, mas possível!

Contra a lógica manicomial!

Contra a privatização da saúde!

SAÚDE NÃO SE VENDE, LOUCURA NÃO SE PRENDE!WhatsApp Image 2018-05-18 at 17.17.49

¹ Site oficial do evento: <http://www.cfess.org.br/eventos/saudemental/index.html>.

² CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL. Mudanças na Política Nacional de Saúde Mental: mais uma ameaça do governo ilegítimo. Disponível em: <http://www.cfess.org.br/visualizar/noticia/cod/1439>.

³ IAMAMOTO,M. L. V. As Dimensões Ético-políticas e Teórico-metodológicas no Serviço Social Contemporâneo. Disponível em: <http://www.fnepas.org.br/pdf/servico_social_saude/texto2-2.pdf>

 

Hoje, temos muito a comemorar! Dia 15 de Maio, Dia da/o Assistente Social!

Como parte desta categoria profissional, a Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social – ENESSO – vem por meio da atual Comissão Gestora reafirmar que permanecemos e permaneceremos ombro a ombro com as/os assistentes sociais na defesa e permanente construção do Projeto Ético-político do Serviço Social, rumo a transformação radical da sociedade!

A atual conjuntura tem imposto a nós condições de vida e trabalho cada vez mais degradantes, que tem implicado diretamente em nossa organização enquanto categoria profissional… Mas nós dizemos não, e seguimos resistindo, compondo os espaços coletivos de luta, de reflexão e deliberação, conclamando a todas e todos estudantes de Serviço Social para que possamos construir o Movimento Estudantil de Serviço Social e a ENESSO, nos inserir e permanecer nos movimentos sociais e organizações da classe trabalhadora traçando junto a nossos pares estratégias de enfrentamento ao que está posto!

Vivemos um momento de recrudescimento do conservadorismo e estratégia descarada da burguesia de intensificação de ataques aos direitos da classe trabalhadora, conquistados por meio de muita luta e organização coletiva. Não existe espaço para neutralidade, referenciando o CFESS: “Nossa escolha é a resistência”!

Resistimos a lógica de mercantilização da educação, que tem sucateado as instituições públicas de ensino e favorecido as empresas que visam apenas lucro e reprodução da ideologia burguesa, impondo a nós o ônus da crise em curso.
Lutamos pela educação enquanto um direito universal!
‘Nossa escolha é a resistência!’

Sabemos que esse desmonte traz impactos frontais ao projeto de formação profissional em Serviço Social consolidado nas Diretrizes Curriculares da ABEPSS de 1996, que prevê uma formação para a vida social, demandando a  materialização da unidade ensino-pesquisa-extensão e estágio supervisionado como atividade curricular obrigatória.
Lutamos por uma formação permanente, crítica e presencial, para que todas/os tenhamos condições reais de desenvolver uma postura crítica, na defesa dos interesses da classe trabalhadora: por uma Universidade Popular!
‘Nossa escolha é a resistência!’

Rechaçamos o racismo entranhado na sociedade brasileira, que tem negado às/aos estudantes negras e negros o acesso e permanência no ensino superior, e aos direitos humanos;  o machismo que impõe a mulher trabalhadora uma rotina que sufoca sua condição humana; a lgbtfobia que nega a diversidade e a liberdade de expressão dos sujeitos que não se enquadram nesse modelo heteronormativo, e toda e qualquer forma de opressão!
‘Nossa escolha é a resistência!’

Saudamos as/os profissionais do Serviço Social brasileiro pela sua história de lutas e destacamos o processo de reflexão construído desde o Movimento de Reconceituação, que marca o amadurecimento do significado social e político da profissão, culminando em uma perspectiva de ruptura com o conservadorismo, na direção da emancipação humana, pautando a liberdade como valor ético central. Isso não é pouca coisa!

Reforçamos a importância da dimensão político-organizativa da categoria profissional, como nos aponta o professor Marcelo Braz, como um dos elementos de materialização do Projeto Ético-político profissional, posto que a ABEPSS, o Conjunto CFESS-CRESS  e a ENESSO tem construído histórica e cotidianamente uma articulação, a qual possui papel fundamental na direção social da profissão. Somos estudantes trabalhadoras/es e nos colocamos na luta nos espaços de organização da nossa classe, lutando pelos interesses das/os estudantes de Serviço Social, sabendo que nossa libertação não pode ser individual!
Nossa escolha é a resistência!

A ENESSO dedica a todas/os Assistentes Sociais e estudantes que escolhem resistir, este poema, de autoria da estudante e militante Brenda Soares Rodrigues, Discente Regional ABEPSS (Leste), a qual expressa o legado da organização política das/os estudantes de Serviço Social:

AOS QUE VIERAM E JÁ FORAM E AOS QUE AINDA VIRÃO E IRÃO

 

Aos que vieram e já foram, agradecemos pela construção,

aos que ainda virão e que irão, pedimos paciência e compreensão.

Sair das demandas individuais e lutar pela coletiva,

não é nada fácil, e nunca será,

lutar e remar contra o as amarras impostas é desafiador e adoecedor também.

Como resultado, terão no mínimo uma nova família, alguns comprimidos e muita história pra contar

Não levem o incômodo como algo ruim, a mudança parte dele

Ah, e quem já veio e foi, voltem, voltem sempre, ajudem quem chegou com a sua experiência.

O saber não vale de nada se não for compartilhado.

Contribuir para a luta coletiva não deixa de ser importante quando você já não faz mais parte do protagonismo dela.

Aos que estão, desejo estudo.

Se apropriar do espaço que ocupa é o mínimo para não militar por militar.

Levantar bandeiras sem se responsabilizar pelas consequências é o mesmo que jogar toda história de luta construída antes da sua chegada.

Não desperdice essa história com arrogância e ignorância.

E tenha sempre em mente,

Lutar agora para ter um amanhã melhor.

E com isso, repito

Aos que vieram e já foram, agradecemos pela construção,

aos que ainda virão e que irão, pedimos paciência e compreensão

Sair das demandas individuais e lutar pela coletiva,

não é nada fácil, e nunca será,

lutar e remar contra o as amarras impostas é desafiador e adoecedor também.

Como resultado, terão no mínimo uma nova família, alguns comprimidos e muita história pra contar.Dia do Assistente Social

 

Carta de uma mãe

Olga Benário, a sua filha Anita e a Luís Carlos Prestes, escrita nas vésperas de sua execução numa câmara de gás em um campo de concentração nazista.

Queridos:

Amanhã vou precisar de toda a minha força e de toda a minha vontade. Por isso, não posso pensar nas coisas que me torturam o coração, que são mais caras que a minha própria vida. E por isso me despeço de vocês agora. É totalmente impossível para mim imaginar, filha querida, que não voltarei a ver-te, que nunca mais voltarei a estreitar-te em meus braços ansiosos. Quisera poder pentear-te, fazer-te as tranças – ah, não, elas foram cortadas. Mas te fica melhor o cabelo solto, um pouco desalinhado. Antes de tudo, vou fazer-te forte. Deves andar de sandálias ou descalça, correr ao ar livre comigo. Sua avó, em princípio, não estará muito de acordo com isso, mas logo nos entenderemos muito bem. Deves respeitá-la e querê-la por toda a tua vida, como o teu pai e eu fazemos. Todas as manhãs faremos ginástica… Vês ? Já volto a sonhar, como tantas noites, e esqueço que esta é a minha despedida. E agora, quando penso nisto de novo, a idéia de que nunca mais poderei estreitar teu corpinho cálido é para mim como a morte.

Carlos, querido, amado meu: terei que renunciar para sempre a tudo de bom que me destes? Conformar-me-ia, mesmo se não pudesse ter-te muito próximo, que teus olhos mais uma vez me olhassem. E queria ver teu sorriso. Quero-os a ambos, tanto, tanto. E estou tão agradecida à vida, por ela haver me dado a ambos. Mas o que eu gostaria era de poder viver um dia feliz, os três juntos, como milhares de vezes imaginei. Será possível que nunca verei o quanto orgulhoso e feliz te sentes por nossa filha?

Querida Anita, Meu querido marido, meu garoto: choro debaixo das mantas para que ninguém me ouça pois parece que hoje as forças não conseguem alcançar-me para suportar algo tão terrível. É precisamente por isso que esforço-me para despedir-me de vocês agora, para não ter que fazê-lo nas últimas e difíceis horas. Depois desta noite, quero viver para este futuro tão breve que me resta. De ti aprendi, querido, o quanto significa a força de vontade, especialmente se emana de fontes como as nossas. Lutei pelo justo, pelo bom e pelo melhor do mundo. Prometo-te agora, ao despedir-me, que até o último instante não terão porque se envergonhar de mim. Quero que me entendam bem: preparar-me para a morte não significa que me renda, mas sim saber fazer-lhe frente quando ela chegue. Mas, no entanto, podem ainda acontecer tantas coisas… Até o último momento manter-me-ei firme e com vontade de viver. Agora vou dormir para ser mais forte amanhã.

Beijos pela última vez.

Olga.”

 

 

CONESS SIARA – Sistematização

A Comissão Gestora da Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social vem tornar publica a sistematização das discussões que aconteceram no Conselho Nacional de Entidades Estudantis de Serviço Social – CONESS Siara, que aconteceu entre os dias 16 e 19 de março, na Praia da Taiba/Ceará.

Clique aqui e acesse a sistematização completa.

Em caso de dúvidas, consulte a Coordenação Regional ou a Comissão Gestora.CONESS Siára

Convocatória: XL CONESS Siara – Conselho Nacional de Estudantes de Serviço Social.

A Comissão Gestora da Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social (ENESSO) considerando as deliberações do CONESS Extraordinário que aconteceu entre os dias 18 e 21 de julho de 2017 em Salvador/BA convoca todas/os as Entidades Estudantis de Serviço Social para participar do XL Conselho Nacional de Entidades Estudantis de Serviço Social (CONESS), que acontecerá na cidade de São Gonçalo do Amarante – Praia da Taíba – CE, nos dias 16, 17, 18 e 19 de março de 2018.

O CONESS conforme previsto no Estatuto da ENESSO em sua seção III e artigo 8º, é o nosso espaço deliberativo que reúne anualmente representantes das entidades estudantis de Serviço Social a nível nacional para definir a pauta do ENESS, que este ano acontecerá em São Paulo – SP, sendo também o espaço para discutir e deliberar sobre quaisquer questões políticas e profissionais que se julgarem relevantes para o Movimento Estudantil de Serviço Social a nível nacional.

Esse espaço é de extrema importância para a organização da nossa Executiva, por ser um ambiente nacional de encontro de representantes das sete regiões que compõem a ENESSO, com perspectiva de discussão metodológica, planejamento democrático e participativo para a construção do ENESS, contribuindo assim, para a organização e formação da base, formulando e deliberando ações e posicionamentos a partir dos nossos seis eixos organizativos: Conjuntura, Universidade e Educação, Formação Profissional, Movimento Estudantil, Combate às Opressões e Cultura.

Esperamos a participação do maior número de entidades de base (CA e DA) para ampliar a participação das/os estudantes de Serviço Social nos fóruns e nas deliberações do MESS. Por isso, discuta com a gestão do CA/DA, com o/a Secretária de Escola sobre a importância desse espaço, construa o Pré-CONESS e formule suas propostas. Caso a sua escola não tenha entidade de base ou Secretária/o de Escola ainda, articule-se com a Coordenação Regional e/ou Representante Discente Regional em ABEPSS, como também com a Comissão Gestora e Representante Discente Nacional em ABEPSS, e demais estudantes que constroem o MESS e venha participar e construir conosco.

Inscrições através do site: https://enessosiara.wixsite.com/conesssiara

Comissão Gestora 2017/2018.

Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social.

Convocatória: MAPEAMENTO NACIONAL SOBRE OS E AS ESTUDANTES DE SERVIÇO SOCIAL

Atenção Estudantes de Serviço Social de todo o país!!

Seguindo as deliberações do CONESS Extraordinário “Barril Dobrado” estamos lançando o formulário online para o MAPEAMENTO NACIONAL SOBRE OS E AS ESTUDANTES DE SERVIÇO SOCIAL.

Durante o CONESS debatemos muito sobre a questão da representatividade da ENESSO e o esvaziamento dos espaços.

Dessa forma, foi proposto um mapeamento para conhecer “quem são as e os estudantes de serviço social?”

Então, se você é estudante de Serviço Social participe desse mapeamento!
Preencha o formulário e nos ajude a construir uma ENESSO fortalecida!

Representantes da Coordenação das Regiões, Secretário(as) de Escola e Centros e Diretórios Acadêmicos de Serviço Social, convoquem os(as) estudantes a endossar essa construção!

ENESSO É PRA LUTAR!

https://goo.gl/forms/cyjsOCrdzQo64a5C3

 

 

Coordenação Regional – Região V

Gestão 2017/2018

“Quem é de luta resiste”

Ana Júlia Dias Silva;
Anayra Brioschi Santos;
Cássio Renato de Lima;
Esther Tavares de Albuquerque;
Jannayna Ayres Silva;
Josiane de Souza Ramos;
Raquel Bernardo Fett.

CR V

Coordenação Regional – Região III

Gestão 2017/2018

“Façamos por nossas mãos, tudo que nos diz respeito”

Amanda de Araujo Nascimento;
Ana Patrícia Silva de Melo;
Ana Paula Lomes Cardozo;
Bruna F Lemos de Argolo;
Francyneide Sobreira de Souza;
Lorena Silva Moreira;
Luísa Lopes Cardoso Lacerda;
Mirelle Patrine Araújo Santos;
Rayane MAria Farias Santana;
Thamires Santos Fernandes;
Vânia Souza Gomes Mota;
Yasmin F. Cardoso de Barros.

CR III.png

Carta de Apoio ao Grupo de Estudos e Pesquisas Marx, Trabalho e Educação (GEPMTE)

A Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social através da sua Comissão Gestora vem manifestar apoio ao Grupo de Estudos e Pesquisas Marx, Trabalho e Educação (GEPMTE).

Carta de Apoio

%d blogueiros gostam disto: